Outro episódio foi ao ar e novamente os vídeos de Por Dentro do Episódio foram divulgados. Nesta semana, temos David Benioff & D. B. Weiss comentando sobre Arya e Nymeria, e como o reencontro delas remete à primeira temporada da série. Da última vez que se viram, Arya deixou-a na floresta porque sabia que Cersei mataria a loba se a encontrasse, pelo que tinha feito a Joffrey. A frase “That’s not me” (não sou eu) é referência à conversa que Arya teve com Ned, onde o pai dizia que a filha um dia se casaria com um lorde e cuidaria de seu próprio castelo; então Arya diz que aquela não é ela, não é quem deveria ser.

Comentam também que Jon nunca quis ser Rei, nunca quis comandar, mas mesmo assim foi levado àquela posição. E o encontro com Daenerys é algo que ele vai aceitar não porque concorda e acredita ser uma boa ideia, mas justamente porque todas as ideias são ruins e não lhe resta muito pra considerar diferente.

Quanto a Pedra do Dragão, os produtores não acreditam haver muitos shows na tv em que quatro mulheres discutem estratégias de guerra ao redor de uma mesa, e seria muito menos interessante se ao invés delas a mesa fosse cercada por homens velhos e com barbas grisalhas. Inicialmente a cena não tinha sido planejada para ser da maneira que foi, mas depois de ver o produto final os produtores dizem estar convictos de que aquele conteúdo foi o melhor possível. (apesar de que a maior parte da cena é conduzida por Tyrion, né dona HBO?)

Weiss diz ter adorado a sequência de batalha em alto-mar, e mesmo depois de semanas de gravação e coreografias e efeitos especiais o que ficou melhor em tudo foi a expressão e a interação entre os três Greyjoys. Depois de tudo que Ramsay fez com Theon, toda experiência negativa acumulada e as torturas sofridas, não se pode simplesmente superar e seguir em frente. Theon nunca mais será o mesmo, e nunca se esquecerá do que passou, e no momento da batalha ele se lembra dos piores horrores de ser Fedor e novamente se apavora. Para completar, temos a risada psicótica de Euron ao ver o sobrinho pular e fugir.

Peter Dinklage (Tyrion) comenta o “Conselho de Guerra de Daenerys”, e como o poder está concentrado nas mãos das mulheres; Dany está tentando jogar o jogo, mas é muito difícil. Emilia Clarke (Daenerys) conta que Daenerys poderia simplesmente queimar tudo e vencer, mas que ela não vai tomar a rota mais fácil, porque há sete anos ela tenta algo, então falha, tenta novamente e não tem sucesso, e ela quer ser melhor que isso, mais esperta. Até que vem Diana Rigg (Olenna) e diz pra Daenerys simplesmente ignorar tudo e ser o que é, um dragão.

Indira Varma (Ellaria) diz que adora sua personagem, mas que Daenerys está à frente de si mesma sendo muito inteligente, e acredita que Ellaria respeita Dany de verdade.

No último vídeo, os produtores detalham a batalha contra Euron, e comentam como foi criada. O objetivo era basear-se no Silêncio (a embarcação de Euron) e como ela havia sido feita para inspirar medo nos inimigos, sendo cinco vezes maior que os navios de Theon e Yara.

Ainda são mostradas as coreografias da luta das Serpentes de Areia e os efeitos especiais, explosões, o fogo e a água nas cenas, e os artifícios do Silêncio. Parece que Euron mostrou que é capaz de fazer todas as coisas insanas das quais tanto se gaba, e com uma risada digna de maníaco no final. Agora, ele irá buscar seu prêmio.

O próximo “Por Dentro do Episódio” virá na semana que vem, após a transmissão do próximo episódio de Game of Thrones.